Pages

sexta-feira, 28 de maio de 2010


Missão.

5


O mirante está ali, bem à tua frente
Mais parece um tapete de edifícios
Um mar de concreto que abriga muita gente
Oh, mas é tão desnecessário esse mar cinza
Tão desnecessário como toda essas pessoas
Levanta-te.

O mar azul está bem longe de ti
Por que pensas apenas nele então?
Quem és tu perante aquele mar?
Achas que signifcas algo naquela imensidão?
Pois não significas
Senta-te e chora.

O que faz tu quando a solidão bate ao peito
Quando a falta de esperança é pântano interior
Quando a desilusão é maior que o esplendor?
Deixe, menina, a lágrima cair
Ela filtra teus olhos e lubrifica teu coração de vidro.

 Rodes, rodes sem parar
Fique tonta, sinta-te viva
Tu vives, sabias?
Tu existes, tu ainda tem ossos, ainda tem pele
Não apenas o vidro de teu coração ocupa teu corpo
Não és apenas lágrimas misturadas a saliva

E esse mundo a tua frente
O que é ele, menina?
Um mal desncessário, uma redoma de parafina?
Sabes que todos ali não são como tu
Nunca serão comu tu
Então por que sofres?

Não gostas da solidão
Ainda não se acostumou a ela
Mesmo ela sendo teu maior refúgio?
Sabes que é ela quem sustenta os cacos do teu coração
e que o mar azul leva embora esses cacos num segundo
Pensa, roda.

Mar azul, mar de concreto
Coração de vidro, corpo de esqueleto
Olhos de lágrimas, espírito secreto
Percorres sozinha, menina.
Eis tua missão:
Nasce, vive e morre na solidão.

5 comentários:

Blog entretidoo disse...

tbm tenho uma missao

Juan Moravagine Carneiro disse...

Interessante me fez lembrar de Cacaso e Fernando Pessoa ao mesmo tempo...


abraço!

C. disse...

Já te disse que tua escrita é maravilhosa? :)

gabri . disse...

Oi Malu, tenho 15 anos e toda vez que venho ao seu blog encontro pelo menos uma coisa que me interessa nos seus posts... você escreve super bem! Eu quero ser psicologa também... você pode me add no msn? gabimaia@live.com queria te fazer umas perguntas.. hehe. Se puder, obrigada! Gabri.

Talles azigon disse...

vê ninguém assistiu ao enterro da tua ultima quimera

veio-me a cabeça ao terminar de ler essa maravilha sua qurida malu

amei cada relação, cada figura.