Pages

sexta-feira, 30 de abril de 2010


Diane Arbus: Pele, amores, paixão e fotografia.

14
Você já ouviu falar em Diane Arbus? Não? Então se prepare, porque agora, você não vai mais se esquecer dessa moça encantadora!
  Em uma sociedade ainda machista, a bonita conseguiu expandir seus horizontes e conquistar seu espaço como uma das fotógrafas mais admiradas pelos grandes mestres atuais!
  Diane nasceu em 14 de Março de 1923, em Nova York. Filha de judeus,foi sempre tímida e calada. Gostava muito de escrever, e era assim que ela colocava suas mágoas para fora. Quando completou 18 anos, Diane se casou com o fotógrafo Allan Arbus, e foi aí que começou seu interesse pela fotografia, mas ela já era uma artista mesmo antes de começar, era uma artista por natureza.
    Quando começou, ela fazia fotos publicitárias ao lado do marido, mas isso não a deixava feliz. Imagina, ela fez fotos de modelos lindas dos anos 50 e 60, mas isso não trazia a ela uma realização pessoal. Foi aí que ela começou a fazer a diferença!
   Em 1956, Diane encerrou carreira comercial e começou a fazer retratos, assim, como quem não quer nada. Acontece, que esses retratos mudaram o mundo da fotografia da época. Em uma Nova York onde as pessoas estavam apenas preocupadas com a estética adquirida com as modernidades que estavam chegando, Diane se encontrou fotografando pessoas anômalas, tristes, melancólicas, assim como ela. A temática principal da sua fotografia era o lado obscuro das coisas, que chamam de ‘o outro lado’, o lado angustiado da cultura americana, que externamente parecia explodir de alegria por estar se tornando cada dia mais a maior cultura do mundo, mas que em meio a tantos rostos felizes, havia tantos rostos tristes, anomalias, e afins.
  Diane chocou tanto com seu trabalho, que acabou criando inveja no, também fotógrafo, marido. Ele se separou dela 1958, deixando-a sem meios de fotografar. Mas ela deu a volta por cima. Através dos fãs que conquistou com sua melancolia intrigante, ela fez amizade com importantes fotógrafos da época, que ajudaram-na a divulgar o seu trabalho. Prestem atenção na intensidade, no sentimento que a moça colocava em suas fotos:

Há quem deteste o trabalho dela.  Há quem a chame de ‘suja depressiva’, não só nas fotografias, mas também nos livros e artigos que escrevia. Tudo bem, cada um tem a sua opinião, mas eu não conheço nenhum fotógrafo que seja indiferente a ela. Mulheres, ou melhor, pessoas de personalidade como a dela, são raras.
  Diane cometeu suicídio em 1971, mas deixou muita história registrada. Não apenas em imagens, mas também em palavras.
  
  Até mesmo ‘Hollywood’ se encantou pela a história de Diane, e produziu um filme LINDO sobre ela, protagonizado pela Nicole Kidman. Nem todos os fatos do filme são reais, mas ele consegue fazer o espectador captar a essência dessa mulher incrível, a essência da sociedade em que ela vivia, e os valores nos quais ela acreditava. Quem quiser conferir, o filme é de Steven Shainberg, e se chama ‘A Pele’ (Fur: An Imaginary Portrait of Diane Arbus ). É belíssimo, vale à pena conferir!
  
Trailer de "A PELE":



Diane deixou seu trabalho (concorridíssimo) de fotografar lindas modelos para revistas, e passou a trabalhar com aquilo que era visualmente feio, desgstante, angustiante. Mas como ela mesma disse: A fotografia é o segredo de um segredo. Quanto mais ela mostra, mais ela esconde. E há algo mais belo do que encontrar beleza no 'não-óbvio'? :)

14 comentários:

Bárbara - Eco na Lua - disse...

Bem, são depressivos mesmo, mas não deixam de ser MARAVILHOSOS!!!!! *-*
Adorei. =D

Ravi Barros disse...

eeeh, num é do tipo de arte q eu gosto, mas arte é arte!

e ela ta de parabéns msmo!

;)

Little disse...

itinho teu blog. fts interessantes..

caa disse...

nossa,amei o trabalho dela.foda pra ela é pouca. Logo quando entrei no teu blog, já li teu 'quem sou eu' e me identifiquei de cara,fotografia&velharia, combinação perfeita. teu blog é lindo,os posts são ultra interessantes, amei amei amei *--* seguindo,claro.

Bárbara disse...

Amei seu blog moça, e historia dess Diane parece interessante, onde eu consigo o fileme, tem pra baixar na net?
Achei lindo o post "Oamor em imagens".
Sou de bh tb, to te seguindo aqui, bjuss.

Sou o Zelvis... disse...

A Diane cometeu suicidio?
Coisa de genios da arte.
As fotos publicadas aqui são otimas.

Carla Silva disse...

Vou procurar esse filme.

Não sei por que me identifiquei com ela.Não que eu seja um gênio na arte de fotografar, mas a tristeza ...

Obrigado pelos elogios em meu blog , tb gosto muito do seu :)

C. disse...

Eu não conhecia sua história, mas agora me interessei por ela. Quero ver o filme, parece ser muito bom! :D

Juan Moravagine Carneiro disse...

Gostei muito deste seu post..confesso que nõa conhecia Diane até a (V_Leal) do Entre Bocas me apresentar...!

Com certeza uma grande artista!

indivídua disse...

oi! adorei o teu blog, belo e com conteúdo...

http://celuliteseoutrasestranhezasdemulher.blogspot.com/

musicpris disse...

Nossa q post massa! Amei conhecer a história dessa fotografa e vou querer ver o filme tb, gostei muito, pena q ela suicidou...A vida é bela!!!!!

*Dama Lima* disse...

Adorei o post!
Eu tbm me amarro em fotografia, e tive algumas aulas na faculdade.Na verdade, eu AMO artes em geral. Amei o seu blog tbm...gostei bastante, tanto que vou seguir.
Vou te seguir no Twitter tbm.=)

Karla Hack disse...

Eu conhecia ela por causa do filme A pele mesmo... E depois disto não consgui mais esquecer o encanto desconcertante do trabalho dela... Há uma magia estranha e deliciosa no não usual fotografado por ela..
Sem falar da coragem e dinamismo de Diane Arbus... Fantástica!

Dani disse...

gostei, Malu.
e bem-vinda na Roda!
beijos