Pages

domingo, 17 de abril de 2011


Querido diário.

5


23/03/2009

Querido Diário,
Não pensei que eu fosse voltar a escrever aqui. Pensei que esse caderno verde-escuro ficaria para sempre guardado em meu armário, e que seria apenas mais uma forma de recordação dos velhos tempos, de quando eu ainda era uma menina. Mas a gente sempre se engana, não é? Eu, no auge dos meus 17 anos, volto escrever num diário, como uma menininha que acaba de completar 10 anos e que ganhou um caderninho com cadeado, cor-de-rosa e cheiroso.
Quem me dera essa fosse a razão pela qual voltei a escrever aqui. Estou simplesmente desesperada, e acho que a única forma de colocar esse desespero para fora é escrevendo. Escrevendo em um papel, enquanto deixo as lágrimas caírem e meu queixo tremer. Não quero escrever nada disso do que sinto no blog ou no fotolog. Quero guardar para mim, porque sei que a partir de hoje, travo uma luta comigo mesma.
Já fazia um tempo que eu sabia que alguma coisa estava acontecendo. Quando se ama, a energia no ar se torna perceptível. Quando amamos, sabemos se está tudo bem ou não. Não é preciso sexto sentido, é preciso apenas amor. E como eu previa, aconteceu: O Léo voltou com a Mari, hoje. E sabe como eu descobri? Pelo orkut! Ele não teve sequer o trabalho de me contar, de conversar comigo, me dizer o que estava acontecendo. Eu sabia que uma hora ou outra isso ia acabar acontecendo, certas coisas não estão sob nosso controle. Mas custava ele pelo menos me dar uma satisfação, por menor que ela fosse? Eu fui descobrir que a pessoa que eu mais amo no mundo reatou o namoro com a ex-namorada, através orkut! Existe maneira mais fracassada de descobrir que seu mundo desmoronou que essa?
Parece que tudo que nós passamos não significou nada para ele, enquanto ele se tornou a minha vida, em todos os sentidos. Se ele não me quisesse mais, se não quisesse mais ficar comigo, tudo bem, eu não poderia obrigá-lo, mas custava ele me contar que estava prestes a reatar um namoro e acabar tudo comigo de uma maneira decente e humana?? Hoje eu consigo entender aquela velha história de quando as coisas começam sem formalidades, também acabam sem formalidades.
Eu estou sem ar, sem chão, sem cor. São 00:40 e eu estou aqui, com a mente em transe, deixando minhas mãos tentarei traduzir a dor que o meu coração sente. Estou tentando colocar para fora um sofrimento que parece não ter fim. Eu nunca pensei que pudesse caber tanto amor dentro de um ser humano, eu nunca pensei que pudesse doar a minha vida inteira a uma pessoa que não merece uma lágrima minha sequer.
Ele trata tudo de uma maneira indiferente, como se não devesse nenhuma explicação, como se eu não tivesse nada a ver com a vida dele. Eu me pergunto, COMO ASSIM? Será que nesse tempo todo eu não signifiquei nada?! Será que fui apenas uma diversão de férias para ele usar da forma que bem entedesse e depois jogar no lixo como uma casca de banana? Como alguém pode ser tão maldoso e frio, a ponto de não ligar a mínima para o sentimentos de alguém que deu a vida a ele, e que o ama mais que tudo no mundo? Eu pensava que não existiam pessoas frias, e sim, pessoas incompreendidas. Hoje eu percebo o quanto eu estava errada. Existem pessoas geladas, com o coração de pedra, que não ligam porra nenhuma para ninguém, muito menos para quem as ama.
Eu fiz TUDO o que pude por ele. Tentei ajudá-lo de todas as formas possíveis. Eu não me importaria de ter que ir até o inferno com ele se fosse a única maneira de ficarmos juntos. Eu duvido que alguém tenha se dedicado a ele com a intensidade que eu me dediquei. Eu duvido que a Mari o ame da maneira que eu o amo. E quer saber, diário?! Eu quero que essa droga de relacionamento dê errado mesmo, que ele perceba a burrada que fez em me trocar dessa maneira, sem dizer um mísero ‘fui’. Quero que ele seja extremamente infeliz com ela, quero que ele sinta pelo menos um DIA a dor que estou sentindo nesse exato momento. Não há nada que eu possa fazer além de deixar meu coração sair pela boca junto com as lágrimas pelos meus olhos.
Eu ainda escrevi uma carta para ele enorme, dizendo tudo que eu sentia, da maneira mais verdadeira possível, e ele me respondeu com um mísero ‘ok’. Ok. É isso que eu mereço depois de todos esses meses de dedicação total a ele: uma mísera gíria estrangeira de duas letras. Ok. Se é ok para mim, que seja ok para ele também. Ele vai se arrepender amargamente de ter trocado quem mais o amou, quem mais sacrificou a vida por ele, sem ao mesmo dizer um tchau, um adeus. Ele pisou em mim, amassou e jogou fora, sem se preocupar a mínima com meus sentimentos. Mas essa foi a última vez.
Ninguém mais vai pisar no meu coração. Disso, diário, você pode ter certeza.

5 comentários:

Mayara Vieira disse...

As vezes da a saudade de voltar ao tempo é poder viver os momentos novamente.

#Beijos e Sucesso
http://www.semfreios.org/

Humanidades e Amenidades disse...

Adorei o blog! Principalmente quando li no seu perfil que - como eu - é canceriana!
Tenho mania de ficar relendo meus diários e as vezes até penso em retomar com eles. A gente amadurece sem perceber, e de repente somos pessoas tão mais bem resolvidas e...fico tentando seguir aquele conselho do Lulu Santos: é preciso endurecer sem perder a ternura. Mas cada dia acho isso mais difícil!

Uau! Que desabafo o meu...rs, bom to seguindo o blog!

Rhayssa Belloti

Juh ♫ disse...

Oi, Malu!
Tudo bem?

Estou passando para avisar a exclusão do meu blog antigo, o Meu Locus ♥. Depois de um ano, as tematicas do blog se desgastaram, e as tentativas de reerguê-lo foram fracassadas, então optei por exclui-lo. Como eu gosto muito de escrever, criei outro blog, o Osculai amigos.

http://osculaiamigos.blogspot.com/

Enfim, é isso. Um abraço.

Juh ♫

Rayane Gomes disse...

Maluzinha é a Ray , Gata quero falar ctg depoiis , passa lá no blog e deixe seu email por favor . Gostei muiitermo de você viu !

Anônimo disse...

É como se voce se esfoçasse ao maximo mas nunca fosse a melhor, ninguem conseguisse ver seus sentimentos e os machucasse sem ligar pra dor que esta sentindo.